segunda-feira, 20 de agosto de 2007

vou me arrepender em breve

Até que ponto nós não estamos nos enganando, quero dizer, nos enganando feio. Talvez, quando bebemos à meia noite para esquecer a merda do dia que tivemos - mais um dia em que estamos longe de ser "alguém na vida" -, das vilipendiações do anonimato, estamos na verdade bebendo para nos lembrarmos. De que sobrevivemos. De que continuamos aqui. De que nos reconhecemos.

O lirismo é mesmo uma prática absurda, matéria de bêbados infames.

3 comentários:

Bruno disse...

Você viu sideways? Tem uma parte que um dos caras (o paul giamatti) fala que ele não gosta de merlot porque é uma uva sobrevivente, que aguenta tudo quanto é tipo de clima, que ele prefere as uvas delicadas que precisam ser paparicadas.

Bom, eu não gosto de merlot, mas eu acho lindos os sobreviventes.

t.a.

Paulo Rená disse...

A realidade é a ressaca do lirismo.

nina disse...

A la mierda los errores!

=*** Muuuah