sábado, 21 de julho de 2007

(preciso cortar o cabelo)

Apesar do que muitas pessoas possam dizer por aí e do que alegam os best-sellers de auto-ajuda, ser egocêntrico não é mesmo tarefa fácil. Nos dias de hoje, em face ao mercado demolidor de identidades e ao avanço dos sites de terapia emocional, viver em prol do próprio umbigo transformou-se em uma atitude verdadeiramente contestadora, na ante-sala da auto-flagelação e depressão crônica. Aquele que pensa só em si sofre um preconceito genuíno da sociedade hostil desprovida de auto-estima, amor próprio e bom senso.

Um comentário:

Babi disse...

... :/