sexta-feira, 18 de julho de 2008

semi-inoperante

Oi, minha gente. Esse blogue ficou inoperante esses dias por causa de uma série de casos desafortunados, a saber:
1) bug da telefônica;
2) problemas ainda não resolvidos com a conexão de Brasília;
3) reforma na casa e conseqüente
4) bug temporário do computador alheio que sim tem internet.

Com os agravantes:
alfa) fim do semestre;
beta) bug do computador próprio;
gama) advento do playstation 2 na minha vida.

Donde entendemos a precariedade deste post.

Enjoada com o cheiro de tinta, com onze filmes piratas esperando na fila para serem assistidos e uma dor nas costas causada pelo posicionamento requerido pelas horas infindáveis na frente do videogueime e, finalmente, com uma LER intensa conhecida como guitar hero (a.k.a. "guitarrero"), encontro um tempinho dessas férias cansativas para escrever este humilde post sobre.... Clarah Overbook. Como o nome já diz, é um fenômeno causado quando a companhia aérea resolve vender o SEU bilhete de passagem e você, alegre consumidor, se dirige serelepemente até o órgão responsável e processa a empresa, quitando finalmente os meses inadimplentes da faculdade. Clarah causa esse mesmo desconforto. Gaúcha, mas incorporando o ritmo blasée indie das ruas paulistanas, ela é a essência e a prova da zrrogância característica daqueles que se auto-denominam """""escritores""""". Acho que já fiz alguns posts sobre isso, esse orgulho estúpido de se chamar "artista", como um concurso de um milhão de candidatos por vaga, ou um chamado divino. Na matéria que ela escreveu pro jornal o Globo da semana passada, xingando veementemente os leitores do seu blogue que, segundo ela, achavam que a conheciam e davam pitaco na vida dela, ela separa gravemente o que escreve no blogue com o que escreve no livro - aí sim, é escritora. Na verdade, ela nasceu pra ser escritora, escreveria em qualquer lugar disponível - que tocante! - e calhou que fosse em um blogue. Mas poderia ser, sei lá, na New Yorker. Quanto aos leitores, quer dizer, muita gente não vai gostar do livro dela e também não vai mandar um email falando mal ou criticando, sei lá. O que eu quero dizer é que blogue é justamente isso: escrever pra pessoas que não são iguais a você, deixar as palavras se perderem livremente num google da vida, ser acessada constantemente por evangélicos que querem namorar (nada contra!).

Escrever pra "artista" é muito fácil também, quer dizer, essa atitude altiva de jogar pérolas para os porcos. É só incorporar esse clima Walter-Benjamin-estava-certo e achar que o presente é uma corruptela do passado e que a arte está sendo ameaçada todos os dias por dois filhos de francisco. Ler segurando um cigarro como se fosse uma grande transgressão, como se nos fizesse pessoas especiais, ímpares, convivendo com o lixo da mídia. Só que se esquece que quem rola no lixo não é bonitinho e nem ouve Chet Baker.

E o Walter Salles fez um filme inspirado nela. Que lindo.

Pode dizer que essa revolta toda é inveja, diz. Pronto. Na verdade, não é. Estou querendo ter um pouco de gosto próprio que me permita diferenciar a qualidade das coisas, para que eu não me pegue lendo lixo, como se fosse coisa de artista. Ler por status é chato e te leva a desistir. Eu não, I will survive for as long as I know how to love I know I'll be alive.

Fim do post precário.

13 comentários:

Pedro disse...

Olha, lembro dela no tempo em que blogs bombavam e vários blogs que eu lia a admiravam. confesso que nunca achei grande coisa, mas na verdade eu nunca tive saco de ler. meio pedante, assim. e pela sua descrição, nem deu vontade de aprofundar.

Nai disse...

eu já ouvi falar bem dela... mas a pessoa que a indicou, dia desses me mandou um texto sobre como o batman era escorpiano, então sei lá. não que ele não possa ser escorpiano, mas tanta coisa mais legal pra ser dita sobre o batman.
de qualquer modo, quel, acho existe a pimbisse (ou pimbice?) e a pimbisse (a pergunta permanece). mesmo sem conhecer eu sempre a associei com o movimento pimba, por causa de quem a lê. a questão toda é que nós somos pimbas legais, mas os pimbas chatos sempre existirão. e nós somos pimbas legais simplesmente porque somos nós, acho. :)

vina apsara disse...

será? acho que não é só ser pimba - acho que a genté é mais nerd que pimba, mas ok - o lance é esse combo indie-blasée necessariamente arrogante. Esse "não tô ligando pra ninguém" que é pra chamar toda a atenção do mundo. enfim...

acho que fui injusta ao não colocar um link nem um texto para apreciação. não gosto de deixar de fazer isso...

vina apsara disse...

ó os links (nao vou fazer outro post sobre ela...):
http://www.averbuckisonthetable.blogspot.com/

notem, por favor, a atitude eu-sei-falar-inglês e as frases irritantemente curtas, sem ritmo. sobre o tema, não resta dizer que ela é alternativa demais pras confraternizações tipicamente brasileiras.

http://www.brazileirapreta.blogspot.com/
...e o fundo de oncinha.

http://adioslounge.blogspot.com/
esse é o novo. adorei o "camisinhas carregadas com a porra de outrem", que é a frase mais ambígua que eu ouço em anos. e o outrem, né? fancy?

LRP disse...

hahahahaha!
mas eu quase fiquei com vontade de assitir, mas filme anda tão caro de ver no cinema... e minha lista de downloads tem mta coisa melhor na frente...

Doda disse...

Eu sabia!

Sabia que o Playstation tinha tomado conta da sua vida!

Quel, pelo menos deixa o Migui jogar um cadinho. Ele já viajou?

O Bug da Telefônica já foi embora?

Beijos!

vina apsara disse...

já, o bug da telefônica foi de um dia só.

e o playstation é do bruno, que joga comigo. a gente ta querendo comprar um multitap pra jogar x-men de 4 pessoas, pena que vc nao ta aqui!! e o miguilito tá em cuiabá já!

po, suri... acho que vou ver o filme sim. quer dizer, dizem que é só inspirado nela, e a leandra leal é bem menos indie que a propria. to só esperando uma quarta-feira que nao tenha batman...

Pedro disse...

não querendo me enfiar em assuntos familiares, mas uma vez meu amigo comprou um multitap e não deu certo. tenham cuidado!

Nai disse...

bom, acho que a gente é nerd e pimba. eu não me acho uma intelectual de verdade de jeito nenhum, pelo menos, eu só finjo. e torço pra nunca encontrar com ninguém que me faça perguntas que possam me desmascarar...

mas você tem razão, essa pose não-ligo-pra-ninguém como forma de chamar atenção é mesmo chatinha. daí eu li um dos blogues dela, e não entendi all the fuss about her. e não tem nada de mais, parece só mais um blogue do tipo "hoje eu comi requeijão, requeijão é tão legal!". e eu confesso que tenho uma certa desconfiança de quem fala "oh como o natal é uma festa hipócrita". geralmente vem no pacote toda uma pose meio "mamãe-sou-revoltadinha,-olha-só!"

sei lá.

:: juliana disse...

*evangélicos que querem namorar*, meu deus, eu estou rindo há mto tempo.

vina apsara disse...

´é, eu fiz um post sobre namoro evangelico ha um tempao...

júlia disse...

olha quel vou te dizer que você é uma GÊNIA mas tão gênia que num dia como hoje que estou triste triste não consegui acompanhar seu ritmo mas nada que tenha me deixado mais triste, pelo contrário afinal,

peixe!

júlia disse...

que é pimba?