quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

15/01/2006

todos os pes ficam frios quando deitam. porque pensam... juan preciado contava da mulher que sentia falta dos pés do marido em torno dos dela, como um pão no forno. pés quentes não são obrigados a pensar: eles caminham, eles amam. pobres os que são condenados a estarem frios, pensando na saudade do caminho que traçaram para si por amor ou por necessidade - estranhos caminhos, para a mente que pensa, enquanto o corpo trabalha.

5 comentários:

Tata Marques disse...

Gente! E cadê a paçoca?!?

vina apsara disse...

comi!

e desconto meus desejos auto-destrutivos no template deste blogue!

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Isso é do Sandman, certo? Esse coração? Estou quase certo que sim.

E tome-lhe WayBack Machine, né! =)

Que bom que você também está revivendo memórias. Mantém a sanidade.

E esse texto é muito a sua cara, afinal, repito, você é você muito tempo (nem usei o "tem" para não rolar aquele nosso velho problema de comunicação)!

vina apsara disse...

o coração eu achei no google mesmo. naquela época eu tinha muita paciencia de procurar imagens que combinassem com os textos.

pois é, eu tava meio preocupada de perder os textos que eu gostava, mas aí surgiu isso, e... eu pensei que já tinha republicado todos os que mereciam, mas achei esses dois.

ai, tanta preguiça aqui na internet!

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Vou ver direito, mas acho que vi esse coração outro dia impresso. Quase certeza. Bom, por hora, vou te deixar um presente-dica, que talvez a reanime: http://www.images.com/.