quarta-feira, 12 de setembro de 2007

se não sou eu, quem vai cortar as minhas unhas?

Ando ausente em proporção ao meu cansaço. Não sei o que é vida há muitos meses, e ela é mesmo um bichinho estranho, tipo o Gizmo. É preciso ter cuidado. É preciso se cuidar.

Hoje eu vi um cavalo na faculdade, foi estremamente bizarro. Me senti num hotel-fazenda, depois fiquei elocubrando durante horas se as pessoas da veterinária não se sentem assim o tempo todo. Mistérios da Existência.

Também descobrimos que há um muro de Berlim na universidade que separa as áreas de hegemonia feminina e masculina - a saber: as artes das engenharias - e, entre elas, uma ponte da amizade, literal, dessa vez, com florzinhas e tudo o mais.

Queria que tivesse uma fada-dos-dentes pra eu poder escravizar pra fazer a faxina pra mim. E pagar as minhas contas.

Ainda guardo os meus cisos.

2 comentários:

Babi disse...

eu não fiz menor questão de guardá-los... me fizeram passar por tanta dor que eu perdi até o ânimo! hehehe

vina apsara disse...

é verdade, babi, você é um caso extremo...