terça-feira, 3 de março de 2009

vergonha alheia

não é o melhor dia pra postar hoje: um daqueles momentos em que você só espera aquele instante quando as coisas todas vão desabar em cima de você = problemas com a telefônica. meu deus, cara. não tem nada nesse mundo que eu detesto mais que a telefônica - só talvez talheres descartáveis. por isso que eu tenho uma tag só pra problemas de conexão.

eu comecei a escrever desse jeito, todo dia, porque a psicóloga do cursinho disse que é terapeutico. 7 anos depois, vocês aqui me ouvindo reclamar todo dia. ai, que saco...

enfim, pra coisas mais felizes.

um dia desses eu descobri, no estadão, no caderno "cultura", essa coluna de entrevista chamada "antologia pessoal". não sabia se o mais cretino eram as perguntas, as respostas ou a entrevistada. domingo passado eu descobri que não eram mesmo as perguntas, porque elas são padrão. o foda é uma pessoa que se descreve como "Fulano de tal - escritor e ensaísta" e que responde em plural magestático a uma pergunta como "De que livro você gostaria de mudar o final?". Pra completar a vergonha alheia...

"Que personagens são tão marcantes que ganham vida prórpia na sua imaginação de leitor?" - ao que o fulano responde - "neste momento, são conceitos: não posso mais enxergar a experiência humana senão pelos registros do real, do simbólico e do imaginário, tal como propostos por Lacan". te juro, cara, não tô mentindo: citou lacan e deu fatality na pergunta singela.

vergonha própria: escrevi experiência com s.

6 comentários:

Luisfel disse...

Tá vendo? isso é um PIMBA, o resto é conversa (o tal sujeito, by the way, não seria um autor careca descolado que insiste em aparentar 20 anos menos? Eu imaginei ele assim...).

vina apsara disse...

pois é, o mais triste é que ele parece estar ainda na casa dos 20. de fato, ele é mesmo careca, mas é até bonitinho...

Tata Marques disse...

Talvez ele esteja lá: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=14647812

vina apsara disse...

hahhaha

não, acho que esse cara ensaiou a vida dele inteira essa resposta na frente do espelho...

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Odeio quem não responde as perguntas e usa palavras aleatórias sem nexo como se estivesse filosofando sobre a essência do mundo.
É tão útil quanto garfos de plástico.

Makaeh disse...

vivam os carecas! que sejam cada vez mais considerados bonitinhos!!
=D