sábado, 13 de novembro de 2010

no dia de hoje

tentei...

1) publicar uma ideia que pareceu genial quando tive, no meio da aula, e começava com comparar machado de assis com o michael jackson: os dois nasceram negros e morreram brancos, mas só um tinha vitiligo e escândalo com crianças. mas quando comecei a tecer as relações entre thriller e memórias póstumas, achei que tivesse atingindo um certo limite da infâmia;

2) postar uma foto que tirei de um flyer que encontrei na rua em Buenos Aires e que dizia "Centro Cultural Borges: artes marciales y kung-fu". mas, por causa disso, meu computador travou e não consegui ligá-lo o dia inteiro. acho que também atingi, talvez, o mesmo limite;

3) demonstrar variações sobre o mesmo tema, entre o SoHo de NY, o Soho de Londres e o Palermo Soho de Buenos Aires, e como magicamente o mesmo nome pode não ter tido a mesma origem em três lugares diferentes. mas aí pensei no Centro Cultural Borges, que fica exatamente aí, e atingi novamente aquele limite;

4) o que a providência não conseguiu impedir, no entanto, foi que eu enviasse o texto conhecido como a Farsa dos Telletubies para não um, nem dois, mas TRÊS amigos com sensibilidade suficiente para atingirem também um certo limite e talvez cortarem ligações.

estamos no aguardo.

5 comentários:

coelhoraposo disse...

G E N I A L !!! Só digo isso.

Nai disse...

ei! eu quero ler a farsa dos teletubies!

Tata Marques disse...

ah, eu tb queria ler essa farsa!

Luis disse...

1- Acho que o primeiro item é o maior nível de infâmia já atingido na sua história. É insuperável. E a comparação não existe;
2- Borges e kung fu é uma coisa linda, mediocrática, batráquia;
3- Super a favor de um ensaio sobre os Sohos;
4- Como assim eu não recebi uma cópia da farsa dos teletubbies?

=o****
PS.: Quero ir a BAires com você. Acho errado não explorarmos o Palermo Soho juntos. Falta no nosso currículo.

disse...

Muito bom..