segunda-feira, 17 de novembro de 2008

origens do vinadrama

Quinta-feira, Fevereiro 24, 2005
post vago de despedida
"Contemplando a cidade que sumia e a costa que se afastava, de seu posto de observação do convés do Majestic, teve a sensação de gratidão e alegria por saber que a América existia e que, debaixo dos horrorosos detritos da indústria, a terra rica ainda pulsava, fértil, luxuriante; e que, no coração de seu povo ingovernável, a velha fé e generosidade se mantinham, às vezes convertendo-se em excesso e fanatismo, mas indomável e invencível." F. Scott Fitzgerald
Qual imagem trago, quando deixo Brasília para trás? Sofrimento, compaixão, desilusão? Coragem... E, embora não saiba bem o que isso signifique, e me confunda com os sinais indecifráveis deste meu coração, me vou sem fugir nem desistir, sabendo inflar e reagir, sabendo ficar e esperar. Porque não sou eu quem comanda os giros desse planeta. Não sou eu quem vai dizer pra onde ele irá.

3 comentários:

Paulo Rená da Silva Santarém disse...

Você vai presencialmente para São Paulo, mas fica na Hiperfície: seja no tempo da memória, seja na geografia da internet, seja da forma que se puder imaginar para esconder a partido, você continua sendo encontrada por aqui, em algum lugar.

Débora disse...

Meio Gira-Mundo esse seu comentário, hein

vina apsara disse...

gente, eu sou muito dramática, jesus...